Discussão acerca da persistência da violência, oficina de turbante e momento saúde marcam início da semana da mulher

0

A Secretaria de Assistência Social (Setas), através do Conselho Municipal da Mulher de Altaneira (CMDM), iniciou nesta segunda-feira, 13, uma série de atividades visando comemorar o dia internacional da mulher – celebrado na última quarta-feira, 08.

De acordo com a Secretária Lan Soares e a Assessora Ellanny Cristina, a semana dedicada às mulheres altaneirenses visa não só proporcionar lazer, mas informações acerca de diversos temas que corroborem para fazer com que as mulheres possam enfrentar os desafios da sociedade contemporânea.

Desta feita, a programação que se estende até a próxima sexta-feira, 17, teve início hoje com várias atividades na sede da Setas com destaque para o desenvolvimento de uma palestra referente a violência contra a mulher. O momento foi proporcionado por Eliane Aragão, representante do Serviço Social do Comércio (Sesc), unidade Crato-Ce. Dentre os diversos tipos, ela primou pela violência doméstica que é um dos mais corriqueiros e que tem feito muitas vítimas. Ao tratar essa tipificação como uma das principais violações dos direitos humanos, Eliana trabalhou as formas que permitem a superação desse entrave social, citando como exemplo, a a Lei Maria da Penha sob o nº 11.340/2006 que permite a criação de serviços especializados de enfrentamento à Violência contra a Mulher, referenciado por instituições de segurança pública, justiça, saúde, e da assistência social.

Oficina de TurbanteFoi desenvolvido também oficina de turbante. Cerca de 20 mulheres participaram da elaboração desse símbolo de identidade e representatividade cultura africana. O uso do turbante não deve ser visto como um assessório estético que serve para adornar a cabeça e demonstrar charme, estilo e beleza, simplesmente. Mas principalmente como símbolo de resistência ao aculturamento, de afirmação de sua identidade cultural e de luta contra a discriminação e o preconceito racial. Em outras palavras, como um ato político que reflete hábitos e costumes de um determinado povo, o negro.

As mulheres ainda participaram de uma tenda da saúde onde foram oferecidos teste de glicose a aferição da pressão proporcionadas pelas funcionárias da secretaria municipal de saúde.

Paralelamente a essas ações, as mulheres do distrito do São Romão participaram do projeto “Advogada do Povo”. Aqui a advogada Francisca Adriele realizou atendimento com orientação jurídica, encaminhamentos e palestras sobre a área na unidade do Centro de Referência da Assistência Social (Cras).

Acesse a página oficial do município na rede social e confira mais fotos.

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.


Acessibilidade
Acessibilidade