Audiência pública debate Plano Plurianual 2018-2021

0

O poder executivo, por meio das secretarias de administração e finanças e de governo, promoveu na manhã desta segunda-feira, 14, audiência pública visando discutir e apresentar propostas para o Plano Plurianual (PPA) de 2018 -2021.

A audiência foi intermediada pelo Secretário de Governo, Deza Soares que ao iniciar os trabalhos falou da importância de se promover eventos em que a comunidade é chamada a participar e propor propostas que venham a contribuir de forma positiva na administração pública. Ele mencionou que esta era a primeira vez na história do município em que a comunidade estava tendo a oportunidade de participar da elaboração do PPA.

Já o prefeito Dariomar Rodrigues arguiu acerca da necessidade de se ouvir a população, de chama-la para participar da gestão e concluiu “não quero fazer nada sozinho. Tudo o que for feito no âmbito desta municipalidade precisar ser pensado coletivamente”.

O ex-presidente da Câmara Raimundo Nogueira Soares e o atual presidente do legislativo municipal, Antonio Leite também fizeram uso da palavra. O primeiro criticou a pouca presença da comunidade no encontro, ao passo que gostaria que nas propostas apresentadas estivessem contempladas formas de geração de emprego e renda para os jovens. Já o segundo disse que sentiu no documento base da audiência eixos que discutissem a educação, saúde e agricultura.

Intervenções feitas, o trabalho passou a ser conduzido por Joelmir Pinho, membro da Escola de Políticas Públicas e Cidadania Ativa (EPUCA). Este argumentou que as ausências sentidas pelo edil se encontravam contempladas no eixo 1 e 6. Joelmir de forma rápida expôs o que constitui a PPA, vindo a realçar que este se constitui um dispositivo legal previsto no artigo 165 da Constituição Federal, sendo, pois, um plano de médio prazo que permite estabelecer as diretrizes, objetivos e metas a serem seguidos pelas esferas administrativas ao longo de um período de 4 anos. Para Joelmir, o PPA não pode ser engessado, devendo ser alterado caso surja algo novo e que precisa ser inserido. O PPA precisa ser aprovado por lei na Câmara e terá vigência no segundo ano de mandato do prefeito.

Dito isso, servidores públicos, agentes políticos e representantes de associações se dividiram em grupos para discutir e apresentar propostas nos seguintes eixos: 1 – Economia, Trabalho e Renda; 2 – Infraestrutura e Serviços Públicos; 3 – Políticas Sociais; 4 – Gestão Ambiental e dos Recursos Hídricos; 5 – Cultura, Esporte e Lazer e 6 – Modernização Administrativa.

O evento foi sediado no Auditório da Secretaria de Assistência Social (SAS) e amanhã terá prosseguimento no distrito do São Romão.

Acesse a página do município no facebook e confira mais fotos do evento.

 

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.


Acessibilidade
Acessibilidade